26.6.08

Mais do mesmo, mas na tela....

 

Não entendo a adaptação de "O Sexo e a Cidade" ao cinema...

 

Hummm... 4 anos depois, ainda se tenta espremer qualquer coisa dali...ok, ok... mas aquele livro de Candace Bushnell já deu tudo. Foi uma boa ideia, sim, mas agora há que ter outras. Dignas do grande ecrã.

Era o mesmo que agora um fulano se lembrasse de adaptar o House.

Há coisas que só resultam em determinado formato e há coisas que esgotam ao fim de algum tempo.

....

E assim lá vamos nós todos contentes ao cinema, ...

e não vemos nada que não víssemos num simples episódio da série num qualquer plasma gigante...

 

sinto-me: entediada
linkPor AngKorVat, às 13:55  manifestar-se

25.6.08

 

eu tenho 23 anos.

há 16 que escrevo na língua de Camões.

ainda sou muito nova para me sentir ultrapassada.

 

Eu simplesmente NÃO quero comer purê em vez de puré...

 

 

imagem da internet - © Antero Valério

 

 

sinto-me: contra
linkPor AngKorVat, às 02:12  manifestar-se

...entre o título deste BLOG e o título de uma coluna do jornal 24 horas é MESMO pura coincidência...

 

eu até sou uma rapariga que gosta de folhear jornais, mas há imenso tempo que não folheava esse... 

...mas não roubei nada a ninguèm

 

---só para esclarecer---

sinto-me: pouco original
linkPor AngKorVat, às 02:04  manifestar-se

24.6.08

Está visto e comprovado...

eu não nasci para saber mudar templates... e o resultado é este simplório rosto novo do blog :(

eu não consegui melhor.

Perdi a minha paciência!!!

Mas um dia ainda vou ser capaz...

tags:
sinto-me: irritada
linkPor AngKorVat, às 22:49  manifestações (2) manifestar-se

22.6.08

 

 

 

hoje pinto eu...

mas não se iludam...

acreditem que ficou bem melhor na fotografia... lol

 

não custa sonhar :)

sinto-me: artista :)
música: fight outta you - ben harper...
linkPor AngKorVat, às 17:45  manifestar-se

21.6.08

 

Regressei.
Parece estar tudo alinhado: a cama ao centro, à volta os móveis dispostos em U, uma janela enorme com uma vista linda sobre um jardim cheio de margaridas. No tecto estrelas iluminam-se quando a luz se apaga. Um quadro de cortiça mostra alguns momentos fotográficos bem passados. Sorrio.
Conheço o meu quarto, é um espaço agradável, mas não me revejo nele. Acho que por mais que disponha os meus objectos sobre a cómoda e, por mais que pendure os meus casacos no velho armário; nada me vai pertencendo deste espaço.
O meu quarto é a visão da minha infância, as paredes que sempre vi, nos dias bons e maus... Os dias em que via as margaridas lá fora, e os outros em que só via as nuvens feias.
Acho que já nada disto me pertence. Ou talvez nunca tenha.
Quando se deixa um espaço durante algum tempo, deve ser isto que acontece… ele deixa de reflectir a nossa imagem… porque se desabituou da nossa presença modeladora.
Sair de casa e voltar, mudou tanto em mim como inalterou o meu quarto. Ele, permaneceu intacto, com os meus objectos de outrora, que também já não me pertencem. Nem mesmo o espelho conhece a imagem que reflecte – está baço de ver a cama sempre impecavelmente feita e as almofadas alinhadas – sempre as mesmas – à espera do meu regresso.
(Ou talvez este espaço não tenha que ser uma extensão minha…)
 
 
tags:
sinto-me:
música: chuva - mariza
linkPor AngKorVat, às 22:24  manifestações (2) manifestar-se

19.6.08

 

 

 

Acredito que as pessoas são como os espaços - quando os deixamos por determinado tempo deixam de nos pertencer, no sentido em que deixam de reflectir a nossa presença. Quando estamos longe abrimos os horizontes e, que quando voltamos tudo nos parece pequeno e passado. Ainda que tenhamos saudades...

A falta de um espaço ou de uma pessoa pode permanecer sempre em nós, sob a forma de saudade ou, pode transformar-se em indiferença, quando nos habituamos a conviver com ela.

 

Não tenho medo de perder aquilo que nunca me pertenceu - mas horror de perder aquilo que em dias, noites, instantes, momentos,... julguei meu, por fazer de mim uma pessoa FELIZ.

Acredito, como Miguel Sousa Tavares "que nada do que é importante se perde verdadeiramente" porque "apenas nos iludimos julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros". Como ele, ...talvez..., eu "não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo poderia ser meu para sempre".

 

Mas enquanto não for, eu vou pedindo emprestado...

 

(imagem da Internet)

sinto-me: counting down
música: aconteceu - ana moura
linkPor AngKorVat, às 23:53  manifestar-se

16.6.08

Siiiiiiiim!!!

 

Hoje, em minha casa, pelas 20h a apresentação do cd "Viva la Vida" dos Coldplay  :-P

 

E isto graças a minha querida Antena 3... que vai transmitir em directo e exclusivo para Portugal o concerto na Brixton Academy de Londres.

 

É mesmo imperdível: os "Bons Rapazes" da 3 a transmitir as ondas sonoras dos "RAPAZES BONS" de Londres... eheh

 

Estou em pulgas...

 

música: todas deles
linkPor AngKorVat, às 19:05  manifestar-se

 

Vista daqui, de cima, Viseu parece ainda mais bela. Daqui, por todo o lado vejo pessoas, carros, movimento e vida… As casas antigas em redor da Sé que, aqui, assumem a proporção de casinhas; quase com contornos de presépio vivo; parecem lá ter sido colocadas ao acaso. Teve, quem lá as pôs, o cuidado de deixar passagens, mesmo estreitas, onde os rastos foram decalcando a pedra.
A cidade tem altos e baixos, tem montes e vales – tem a Sé e a baixa comercial…
À volta, um círculo mal desenhado de alcatrão – a estrada da circunvalação – demarca território. Percebo que ninguém se perde em Viseu – todos os caminhos lá vão dar. Há cidade para fora desta “muralha”; talvez um pouco diferente: mais nova, mais moderna, mas um bocado menos histórica e talvez um pouco menos especial.
O balão vai-se afastando e proporciona ao meu campo de visão um zoom out lento e compensador. A dimensão da cidade é agora mais perceptível – perdi pessoas e ruelas, mas ganhei espaço e dimensão. Posso abarcar a cidade, começo a ver montes à volta: talvez a serra do Caramulo e a da Estrela.
Daqui, de cima, quase sugo a essência da cidade de Viriato. Pequena, como está, entra na minha retina e fixa-se como imagem de Polaroid.

 

sinto-me:
linkPor AngKorVat, às 17:23  manifestações (2) manifestar-se

3.6.08

Ando num rodopio.

Agora é isto, daqui a nada aquilo...

Depois acabar qualquer coisa - começar outra coisa.... UFFF!!!

 

Há tempos assim...

As coisas não deviam acontecer todas em simultâneo.

É cansativo, frustrante ... mas recompensante quando acaba. Espero!

 

Por isso não tenho tido tempo de cá vir... mas vou vindo trazer suspiros...

 

....................

 

 

sinto-me: cansada
música: nem para isso dá
linkPor AngKorVat, às 18:35  manifestar-se

 
Junho 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
17
18
20

23
27
28

29
30


algumas imagens inseridas neste blog foram retiradas da internet. elimino-as a pedido do autor.
subscrever feeds
blogs SAPO